BAIRRO SOCIAL – A VANTAGEM ADAPTATIVA

27 Dez 2017
Desenvolvimento Pessoal
wrong_weather_editorial_ss15_editorial_celio_5

BAIRRO SOCIAL – A VANTAGEM ADAPTATIVA

Crescer num bairro social é desafiante a todos os níveis. Pese embora todas as dificuldades que enfrentei, considero que ter esta experiência enriqueceu-me enquanto pessoa e tornou-me mais resiliente. Tive inúmeras experiências que me transformaram e modificaram o meu posicionamento no mundo e o modo como observo a vida. Um bairro social é o estado puro das emoções e sentimentos; não existem falsas apreciações ou falsos testemunhos. Tudo tem um exagero de naturalidade. No bairro somos espontâneos e genuínos.

O bairro foi o contexto que me preparou para viver a vida de atleta de alta competição uma vez que a minha estrutura psicológica foi ampliada no sentido de um crescimento ascendente no qual o desafio se fez sempre presente. Não tenho medo da competição: competir é o meu ambiente natural. Enquanto infante o meu passatempo preferido era sair à rua para me envolver em confrontos violentos com os meus pares; por isso, na competição, quando me saem no sorteio os atletas mais cotados, o meu corpo enche-se numa explosão de adrenalina e contentamento!

“O BAIRRO É A VIDA QUE SE COLHE, COMO PEQUENAS PLANTAÇÕES NA PRIMAVERA, NO QUOTIDIANO.”

Apesar de todas as dificuldades que enfrentei, tive a oportunidade única de crescer num contexto que, pelo seu caráter selvático, me afiou as garras para lutar com uma enorme determinação pelos meus objetivos e me dotou de uma tenacidade absolutamente envolvente. Deus entregou-me em mãos este desafio que abracei com uma enorme devoção. Eu necessito do bairro para existir: são lá que estão as minhas origens e é assim que me alimento quando os tempos se assumem mais dificultosos.

Todos somos teceleiros – com diferentes tipos de tecidos, agulhas, diferentes formas de abordagens e conceitos. Ao longo da vida as linhas dos nossos materiais podem-se assumir de diferentes espessuras e dimensões mas cabe-nos sempre a nós progredir com a obra que temos em mãos. O tecido tem que se desenvolver (é uma ação imperial!). O movimento das agulhas é da nossa responsabilidade; por isso, as dificuldades não são mais do que oportunidades para escalarmos nos nossos objetivos. O bairro é a Vida que se colhe, como pequenas plantações na Primavera, no quotidiano. O que vais decidir fazer com o bairro que te é dado a conhecer? Está tudo em ti.

CARTER B. REY

  • Blogue
  • Carter B. Rey
  • Days of Light and Fights
  • Desenvolvimento Pessoal

Deixe uma resposta