SOU LOUCO E GOSTO

02 Dez 2017
Pessoal
IMG_2014

SOU LOUCO E GOSTO

“Tu és estranho.”

Esta é a afirmação que é quase um segundo nome para um homem que sempre sentiu o mundo de forma exacerbada, apaixonada – eu. Desde cedo na minha vida que tenho dificuldade em fazer-me entender pelos outros, por isso, sempre fui tido como diferente: estranho. Esta forma como fui categorizado distanciou-me da realidade porque esta proporcionava-me um sofrimento extremo pela inexistência de compreensão. Esta atitude fez com que me segmentasse, com que ocultasse partes de mim que de forma alguma queria ver desnudadas.

Tudo o Universo é ação e reação; perante a negligência do meu eu o meu subconsciente enleou-me num mar de sargaço, fiquei preso em mim mesmo. Por mendigar o brilho no olhar dos outros, agredi-me violentamente; tinha vergonha da capacidade mais maravilhosa e extraordinária que Deus me entregou e confiou como talento: pensar. Sempre tive pudor de me afirmar socialmente como um ser que tem uma forte tendência para a racionalização porque a inteligência também pode ser uma agressora para os espíritos agrilhoados à realidade sensitiva.

“SER LOUCO É UM CAMINHO DE LIBERDADE: LIBERTA-TE!”

Mas agora tudo é diferente. Depois da depressão, depois de duas tentativas de suicídio, depois de dois surtos psicóticos (tendo sido o primeiro depois dos Jogos Olímpicos e o segundo acerca de dois meses); depois de tudo isto, do sofrimento, ficou uma tremenda capacidade de aceitação da pessoa que eu sou. Aceito a minha doença mental. Aceito a minha loucura!

Ser louco é um caminho de liberdade: liberta-te! Liberta-te dos estereótipos que apenas condenam; liberta-te das falsas verdade. Ser estranho é um privilégio de quem tem a coragem de observar o mundo por uma ótica alternativa. Ser estranho é um privilégio de alguém que ousa pensar e, por isso, é criticado gratuitamente.

CARTER B. REY

  • Blogue
  • Carter B. Rey
  • Days of Light and Fights
  • Pessoal

Deixe uma resposta