SUOR – O SINAL DE TRANSPARÊNCIA

28 Dez 2017
Pessoal
Trend me too | Days of Light and Fights | Imagens do Ginásio

SUOR – O SINAL DE TRANSPARÊNCIA

Tenho saudades de fazer judo! Devido ao surto psicótico que tive em Setembro, estou afastado dos treinos para que o meu cérebro possa recuperar e restabelecer. O que tenho mais saudades é do cansaço que o treino proporciona: aquele cansaço de sentir o corpo contraído numa expressão física de dor; aquele cansaço em que as noites se tornam mais longas e pesadas porque os músculos não relaxam… aquele cansaço de quando estamos demasiados envolvidos ainda no treino que, apesar de ter acabado, se torna presente pelas endorfinas e adrenalina que fazem da corrente sanguínea pistas de fórmula 1, deixando-nos com uma excitação e energia capazes de correr até ao final do Universo, onde Deus está presente e preenche o vazio que aí se manifesta. Tenho saudades de tudo isto porque está naturalmente em mim – o meu corpo está impregnado (imersão total!) – de uma ambição competitiva que me compraz e me atira para uma melhor versão: o melhor de mim está para chegar! É nesta cama de esperança que os meus sonhos adormecem e se contagiam de energia positiva: o Universo – Deus todo poderoso – ouvirá os meus desejos.

“APRECIO O RITMO A QUE O MEU CORPO GOTEJA CADA LÁGRIMA DE ÁGUA QUE SE AMPLIA EM TODAS AS LATITUDES DO MEU HUMANISMO.”

Tenho saudades do suor que me escorria pelo corpo e me deixava molhado, ficava encharcado do meu trabalho. Tenho saudades do suor que me escorria pelo meu entendimento sensível, concebível, e que pintava no horizonte palpável – tangível – as minhas medalhas e os combates vencidos – as competições são ganhas no treino! Tenho saudades do suor que me percorria a carne sendo a evidência visível das perturbações e dúvidas que escorriam ansiosas no deleite da sua natureza aquosa. O suor é transparência, o suor é sinceridade. No Judo combatemos descalços uma vez que o calçado poderia trazer divisão entre os seus praticantes. Assim, estabelece-se um manifesto que fecunda a diversidade multicultural e fomenta a união entre os atletas de Judo. O suor participa com a mesma prevalência. Ele é a entrega e devoção; certeza de um compromisso, incerteza de um devaneio. O suor é a prova sensorial – a expressão de uma imposição física e biológica. Aprecio o ritmo a que o meu corpo goteja cada lágrima de água que se amplia em todas as latitudes da meu Humanismo. Suar é o trabalho de se existir. Como encaras o suor que te escorre pela fronte? Está tudo em ti!

CARTER B. REY


Fotógrafo: Fábio Caetano

Make-up: Ani Toledo

Styling: Carter B. Rey

Coordenação: Marta F. Cardoso

  • Blogue
  • Carter B. Rey
  • Days of Light and Fights
  • Pessoal

Deixe uma resposta